Estímulo à Manutenção do Aleitamento

Toda mulher pode e deve manter a amamentação após o retorno ao trabalho.

Estímulo à Manutenção do AleitamentoEstímulo à manutenção do aleitamento materno na mulher trabalhadora deve começar na gravidez.

Para manter a amamentação após o retorno ao trabalho, a mulher trabalhadora deve ser conscientizada pela empresa empregadora ainda no período da gravidez. Essa foi uma das principais constatações apresentadas nesta segunda-feira, dia 26 de abril de 2010, em São Paulo, durante a abertura da Campanha de Apoio à Amamentação nas Empresas, lançada pela área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) do Ministério da Saúde.

O evento mobilizou governo, sociedade civil, e levou empresas dos mais diversos segmentos ao debate sobre a implementação de salas de apoio à amamentação nas organizações.

As salas são espaços em que a mulher trabalhadora, com segurança, privacidade e conforto, pode esvaziar as mamas e armazenar seu leite em frascos previamente esterilizados, refrigerando-os à temperatura adequada. Empresas que já tomaram a iniciativa de implementar uma sala de apoio à amamentação, como Eurofarma, Itaú e Santander, constataram que as salas de apoio eram utilizadas por muito pouco tempo pela mulher trabalhadora que voltava da licença maternidade.

Segundo relato dos profissionais presentes no encontro, isso ocorria porque, em muitos casos, a mulher começa a desmamar seu bebê antes de terminar a licença, pois sente que, por ter de voltar ao trabalho, não poderá mais amamentar. Essa ideia é reforçada, inclusive, por profissionais de saúde que, na contramão do que recomenda o Ministério da Saúde, incentivam as mulheres a desmamarem seus bebês precocemente, fazendo com que elas introduzam outros alimentos na dieta da criança.

Por esse motivo, e para evitar a ocorrência desses casos, as empresas passaram a trabalhar junto às grávidas de forma que elas se sentissem mais seguras e apoiadas para continuar amamentando seus bebês após a licença maternidade, mostrando que, com a sala de apoio à amamentação, elas possam manter o aleitamento materno por mais tempo.

Dados da II Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno, divulgada em 2009 pelo Ministério da Saúde, revelaram que 34% das mães brasileiras que trabalhavam fora de casa e que tinham um bebê menor de um ano não amamentavam mais a criança, enquanto que das mães que não trabalhavam fora, esse índice era de 19%. Para essa pesquisa, foram entrevistadas mães de 34.366 crianças menores de um ano em todas as capitais e no Distrito Federal.

Fonte: Ministério da Saúde.

Tags: estímulo, aleitamento, materno

Compartilhe